Objecto (João Branquinho)

Compêndio em Linha de Problemas de Filosofia Analítica (2021)
Ricardo Santos e Pedro Galvão (eds.)
Lisboa: Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa
A partir de uma perspectiva meta-ontológica, discutimos três maneiras possíveis de caracterizar a noção de objecto, entendida como a noção categorial mais inclusiva de todas. Designamos essas caracterizações por Quineana ou Quantificacional (“ser um objecto é ser um valor de um variável”), Aristotélica ou Predicativa (“ser um objecto é ser um sujeito potencial de predicações”) e Meinongiana ou Linguístico-Mental (“ser um objecto é poder ser referido em alguma linguagem ou no pensamento”). Trata-
-se apenas de designações convenientes, não havendo qualquer pretensão exegética no sentido de uma atribuição dessas caracterizações às figuras históricas que estão na origem das designações. Argumentamos que a concepção aristotélica é, tentativamente, aquela que apresenta desvantagens menos sérias e que é assim a mais recomendável do ponto de vista da meta-ontologia.

Palavras-chave: objecto, ser, referência, predicação, quantificação.
From a meta-ontological perspective, the paper discusses three possible ways of characterising the notion of object, this being construed as the most inclusive “categorial" notion. Such characterisations are labelled as follows: the Quinean or Quantificational notion of object, given in the claim "to be an object is to be a value of a variable"; the Aristotelian or Predicative notion of object, given in the claim "to be an object is to be a (potential) subject of predications"; and the Meinongian or Linguistic/Mental notion of object, given in the claim "to be an object is to be possibly referred to in some language or in thought". These designations are a mere convenience and are not supported by any exegetical claims to the effect that the associated views can be attributed to the historical figures from which the designations somehow originate. The paper argues that the Aristotelian notion of object is the one which presents fewer serious drawbacks and is thus the notion that should be recommended for meta-ontological purposes.

Keywords: object, being, reference, predication, quantification.

Conteúdo

Introdução
1. A concepção Quineana da objectualidade
2. A concepção Aristotélica da objetualidade
3. A concepção Meinongiana da objectualidade
Adenda

DOI: https://doi.org/10.51427/cfi.2021.0083