Descrições Definidas (Murilo Coura)

Compêndio em Linha de Problemas de Filosofia Analítica (2014)
João Branquinho e Ricardo Santos (eds.)
Lisboa: Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa
Descrições definidas são expressões da forma ‘o F’ ou ‘a F’. A correta interpretação de descrições definidas está no centro de muitos debates na filosofia da linguagem. Russellianos defendem que descrições defi- nidas são expressões de quantificação e que proferimentos de ‘O F é G’ expressam proposições gerais sobre o que quer que seja unicamente F. Donnellanianos defendem que descrições definidas admitem usos referenciais e que proferimentos de ‘O F é G’ também podem expres- sar proposições singulares sobre a pessoa ou o objeto que o falante tem em mente. Ambos russellianos e donnellanianos precisam acomodar a existência de descrições definidas incompletas.

Palavras-chave: Descrições definidas, distinção referencial-atributivo, descrições definidas incompletas, Bertrand Russell, Keith Donnellan
Definite descriptions are phrases of the form ‘the F’. The correct interpretation of definite descriptions is at the center of much debate in the philosophy of language. Russellians argue that definite descriptions are devices of quantification and that utterances of ‘The F is G’ express general propositions about whatever is uniquely F. Donnellians argue that definite descriptions admit referential uses and that utterances of ‘The F is G’ may also express singular propositions about the person or the object the speaker has in mind. Both Russellians and Donnellians need to accomodate the existence of incomplete definite descriptions.

Keywords: Definite descriptions, referential-attributive distinction, incomplete definite descriptions, Bertrand Russell, Keith Donnellan

Conteúdo

1 A teoria de Russell
2 A crítica de Strawson
3 A distinção referencial-atributivo
4 Descrições incompletas
Conclusão