Analiticidade (Célia Teixeira)

Compêndio em Linha de Problemas de Filosofia Analítica (2015)
João Branquinho e Ricardo Santos (eds.)
Lisboa: Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa
A noção de analiticidade teve um papel central em vários debates filosóficos, em particular durante a primeira metade do século XX. Na sequência do influente artigo de W. V. Quine “Dois Dogmas do Empirismo” (1951), a noção passou a ser vista com grande cepticismo. Mais recentemente, Paul Boghossian, no artigo “Analiticidade Reconsiderada” (1996), propôs uma forma de compreender a noção que é, putativamente, imune às críticas de Quine. O interesse na noção de analiticidade ficou desta forma renovado, assim como a sua centralidade no debate acerca da possibilidade do conhecimento a priori. O principal objectivo deste artigo consiste em introduzir a noção de analiticidade e os principais problemas que esta enfrenta.

Palavras-chave: Analiticidade, analiticidade de Frege, analiticidade metafísica, analiticidade epistemológica, a priori
The notion of analyticity has had a prominent role in the work of many philosophers, especially in the first half of the twentieth century. Following W. V. Quine’s seminal paper “Two Dogmas of Empiricism” (1951), the notion came to be regarded with much suspicion, until Paul Boghossian, in “Analyticity Reconsidered” (1996), proposed a way of understanding it which, purportedly, avoids Quine’s criticisms. The interest in analyticity has thus been renewed, as well as its centrality in the debate about the possibility of a priori knowledge. The main aim of this paper is to introduce the notion of analyticity and the main problems it faces.

Keywords: Analyticity, Frege-analyticity, metaphysical analyticity, epistemological analyticity, a priori

Conteúdo

Introdução
1 A distinção analítico-sintético
2 A noção de analiticidade de Frege
3 A noção metafísica de analiticidade
4 A noção epistemológica de analiticidade